quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Taí o resultado...


Bom, este é o resultado do semestre (ver no SIG). É o reflexo de cada um de vocês. Não culpe mais ninguém pelo fracasso (ou pelo sucesso). Você é o único responsável pelas suas atitudes e ações.

Ao corrigir as carteiras de passeio, parece que alguns acreditam que eu devo ter algum distúrbio mental grave e que não irei ler nenhuma delas. Não só leio, mas confiro assinaturas, datas e horários. Tenho que valer o meu salário e a minha responsabilidade como educador. E não é que encontrei algumas pérolas, como:

* Passeios com menos de 10 minutos de duração (eu avisei que eles deveriam ter, no mínimo, 10 minutos; mesmo assim, considerei como feito).
* Passeios executados apenas em um turno do dia (alguns fizeram todos os seus passeios pela manhã ou pela tarde. Neste caso, um passeio do dia foi cortado, como eu tinha avisado e está nas carteiras de vocês).
* Passeios pouco espaçados (é incrível, mas o indivíduo consegui deixar o cão no canil após o passeio e, após longos 10-15 minutos, voltar e pegá-lo para novo passeio... Infelizmente, acabei considerando como válido, mas não deveria).

Estarei em minha sala amanhã (19/12/2014), das 08h30 às 11h30, para revisões de trabalhos acadêmicos (incluindo carteiras de passeio). Quem quiser revisar seus trabalhos, estarei aguardando. Não estarei na parte da tarde!!!

Outra notícia que não gostaria de dar é que 38% (!!!) da turma está reprovada (há muito tempo não acontecia isto na disciplina). De acordo com a resolução CEPE #042, vocês têm direito a uma nova avaliação. Pois bem: ela será dada, IMPRETERIVELMENTE, no dia 22/12/2014, às 09h00, na sala DMV-01 do Hospital Veterinário. O conteúdo abordará toda a matéria e a avaliação, fechada, constará de 23 questões, valendo 100 pontos. Apenas os alunos que ficaram abaixo dos 60% poderão faze-la. Quem não comparecer e não obter o abono da DRCA, será automaticamente reprovado.

Para os demais, boas férias, bom natal e uma excelente entrada de ano.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

A problemática dos pés (com a solucionática)

PROBLEMA PROPOSTO

Você entra em um quarto e encontra sobre a cama 2 cães e 4 gatos. 1 girafa e 5 hipopótamos passeiam, 3 galinhas e um pato voam. Quantos pés estão dentro deste quarto?

SOLUCIONÁTICA DOS PÉS (no melhor estilo Odorico Paraguaçu)



Esta pergunta-brincadeira rolou no WhatsApp® por certo tempo. Apenas para que possamos ter uma ideia da subjetividade de nossos pensamentos, julgamentos e respostas, vamos fazer considerações para “destruir” as possíveis respostas consideradas certas por pretensos “raciocinadores lógicos”, além de provar que frases podem ser interpretadas da maneira com que o observador as lê (ou imagina). É neste ponto que a Semiologia avança, permitindo destrinchar objetos brutos em detalhes significativos. Não estou preocupado com a validade da resposta, pois, como vocês verão, há diversas respostas possíveis. Mas, então, vamos lá...

Inicialmente, a escrita pátria sofre com estas orações. Há acúmulo de erros léxicos, bem como o emprego inadequado de numerais. Mas isso é uma questão de conhecimento da língua portuguesa. Não é para quem quer... É para quem pode... Mas lembre-se que se trata de uma linguagem própria do meio digital e, neste meio, digitar o português correto é um sacrilégio!

Vamos partir para uma interpretação semiológica veterinária (é lógico, pois se trata de uma questão animal, e ninguém mais gabaritado para isso que o dito profissional). Começaremos a discutir qual o tipo de galinha essa pessoa se refere, já que ela voa com patos. Até o momento, não se demonstrou nenhuma galinha voadora. Mas tudo bem, vamos considerar que não se trata de um voo propriamente dito, apenas uma escapulida, daqueles tipos que ela abre as asas e dá um salto longo (que, para leigos, se assemelha a um voo).

Quanto ao ambiente, puxa, que quarto grande! Será que realmente é um quarto? Veja que cabem 16 animais lá dentro (além de você). Se fizermos algumas considerações sobre a fauna presente, teremos uma diversidade de sexo, raça e gênero, que influenciam diretamente nas faixas de peso corporal de cada um. Mas vamos considerar que todos os animais são adultos e que utilizaremos o peso médio de cada espécie. Assim (ver quadro) teremos 16,7 toneladas de animal (podendo alcançar até 20,6 toneladas). Some, a isso, o seu peso (você também está dentro do quarto).


Com isso, se pode concluir que se trata de um cômodo no térreo, pois um apartamento no décimo andar não ficaria ileso a tanto peso (haja cálculo estrutural para poder aguentar a pressão). Para que um “quarto” possa caber tanto bicho (lembre-se que os patos precisam voar, hipopótamos adultos medem entre 3,5 e 4 metros de comprimento e girafas adultas alcançam 4 a 5 metros de altura), é necessário que tenha, pelo menos, seis metros de pé direito e uma área livre (sem a cama, lógico, considerando que seja este o único mobiliário do ambiente) de 1.500 a 1.780m2 (que “quarto”, hein???).

Quanto à pergunta principal, ou seja, quantos pés existem neste quarto, vamos ter que abrir duas discussões: (a) o que é chamado de (e se entende por) “pé” e (b) se todos estes animais possuem “pés”.

a. Pela definição léxica, “pé” pode denotar tanto os membros dos animais (extremidade inferior da perna, órgão de locomoção) como a parte de um objeto sobre o qual ele se assenta. Desta forma, teremos a seguinte conta:


Considerando esse raciocínio, teremos:


Ainda caminhando por essa linha de raciocínio, devem existir 62 pés no quarto... Mas, segundo outros dicionários da língua portuguesa, “pé” é a parte da cama oposta à cabeceira. Assim, uma cama teria apenas dois pés, reduzindo a contagem global do quarto para 60 pés. Complicando ainda mais, esta pergunta de quantos pés tem uma cama é muito subjetiva, pois as chamadas “cama-boxes” possuem mais de quatro pés (a minha, por exemplo, tem 12!!!). E existem camas que se apoiam diretamente no solo, sem a presença de pés... Logo, a contagem, que antes era óbvia, fica indefinida...


b. Partindo para o lado mórbido da piada, será que todos os animais possuem “pés”??? Por que um dos cães (ou um dos gatos) não pode ser possuidor de uma prótese locomotora (ou ser amputado?). E você? Possui os dois pés (ou somente um)? Mais uma vez, a contagem exata fica indefinida.

Ainda considerando o termo “pé”, pode-se dizer que a medicina veterinária é bem ambígua com relação ao seu uso. A Nomina Anatomica Veterinaria, em sua quinta edição (2012), trás o termo “pes” (em latim) como oficial (parte distal do membro posterior); a Confederação Brasileira de Cinofilia também utiliza o termo “pé” na descrição da parte anatômica distal posterior de cães. Já as disciplinas de clínica preferem o uso do termo “patas” para quadrúpedes (anteriores ou posteriores), para evitar a confusão com os primatas (bípedes). De qualquer forma, cabe ao veterinário saber utilizar este termo de acordo com o contexto. Para o semiologista veterinário, a palavra “pé” não possui validade no caso de não-primatas.

Logo, diversas são as respostas, considerando a visão e o julgamento do observador: pode variar de nenhum pé (você é amputado das duas pernas) até um número finito maior que 62 (considerando todos os pés animais, em conjunto com o número variável de pés da cama). Não quero complicar ainda mais o raciocínio, mas se um engenheiro ou arquiteto lesse esses escritos, ainda acrescentaria mais um “pé”: o pé direito (distância entre o piso acabado e o limite inferior do teto, vulgo altura) do cômodo...

Por isso, neófitos, cuidado nas interpretações que você faz com relação ao seu cliente e seu paciente: nem tudo que parece, é; nem tudo que é, está à mostra. Extravase seu raciocínio clínico lógico para o terreno das possibilidades, tecendo questões que podem ser a explicação do problema. E não se esqueçam: “o óbvio só é óbvio para as mentes preparadas” (Lair Ribeiro).

Para quem chegou até aqui, a programação da semana é a seguinte:

02/12/2014, Terça, Aula Teórica, Turmas A-B-C, 08h00 às 09h40, sala DMV-01, Sistema Genital Feminino (aulas 71 e 72).
02/12/2014, Terça, Aula TeóricaTurma B, 14h00 às 16h30, Sala DMV-23, Tema: Sistema Genital Masculino (aulas 73 a 75).
03/12/2014, Quarta, Aula Teórica, Turma C, 08h00 às 10h30, Sala DMV-23, Tema: Sistema Genital Masculino (aulas 73 a 75).
04/12/2014, Quinta, Aula Teórica, Turma A, 08h00 às 10h30, Sala DMV-23, Tema: Sistema Genital Masculino (aulas 73 a 75).

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Finalmente Inês se faz morta!

Bom, somente quem já defendeu um TCC sabe o alívio que vem após a famigerada defesa. Aconteceu e deu tudo certo. A Banca Examinadora foi generosa (até na nota) e não apertaram muito. O assunto, novo para a Psicologia, é motivo de discussões acaloradas, tanto na própria Psicologia quanto na Veterinária.

                                         
Durante a "inquisição" da Banca Examinadora. 



Banca Examinadora, composta pelos professores Ismael (Orientador), Renato (Coorientador) e Diego. 

Agradeço ao apoio de todos e peço desculpas (mais uma vez) pelas semanas ausentes. Questão de obsessividade mesmo... Para a cereja do bolo, uma editora já comprou os direitos de publicação da obra. Até final do ano que vem, sai!!!

Agora, é bola na área e "simbora cabecear"... Quanto à Inês, ela que se dane...

A programação da semana é:

25/11/2014, Terça, Aula Teórica, Turmas A-B-C, 08h00 às 09h40, sala DMV-01, Sistema Genital Feminino (aulas 66 e 67).
25/11/2014, Terça, Aula Prática, Turma B, 14h00 às 16h30, Sala DMV-23, Tema: Exame Semiológico de Grandes Animais (aulas 68 a 70).
26/11/2014, Quarta, Aula Prática, Turma C, 08h00 às 10h30, Sala DMV-23, Tema: Exame Semiológico de Grandes Animais (aulas 68 a 70).
27/11/2014, Quinta, Aula Prática, Turma A, 08h00 às 10h30, Sala DMV-23, Tema: Exame Semiológico de Grandes Animais (aulas 68 a 70).

domingo, 9 de novembro de 2014

Incerto, mas provável


Esta semana estarei com a programação incerta, pois, provavelmente, defenderei meu TCC (dependerá do meu orientador). Devo ter essas notícias apenas nesta terça. Portanto, até que se prove o contrário, seguiremos a programação estabelecida no cronograma abaixo. Se minha defesa cair no horário das aulas, adiantarei uma aula prática para todos (que já está programada, mas seria dada na semana que vem).

De qualquer jeito, não precisam fazer festa: de uma forma ou de outra, vocês terão atividade!!! Eu avisarei na aula teórica de terça.

Quanto ao material de aula, lembrem-se do que foi falado na última semana sobre os slides que serão cobrados e aqueles que apenas fazem parte do tópico.

Então, (possível) programação da semana:

11/11/2014, Terça, Aula Teórica, Turmas A-B-C, 08h00 às 09h40, sala DMV-01, Sistema Gastrintestinal (aulas 56 e 57).
11/11/2014, Terça, Aula Teórica, Turma B, 14h00 às 16h30, Sala DMV-23, Tema: Sistema Gastrintestinal (aulas 58 a 60).
12/11/2014, Quarta, Aula Teórica, Turma C, 08h00 às 10h30, Sala DMV-23, Tema: Sistema Gastrintestinal (aulas 58 a 60).
13/11/2014, Quinta, Aula Teórica, Turma A, 08h00 às 10h30, Sala DMV-23, Tema: Sistema Gastrintestinal (aulas 58 a 60).

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

De passagem...



Gente, vamos ao que interessa, e rapidinho... Depois a gente discute mais no blog.

Programação da semana:

28/10/2014, Terça, Aula Teórica, Turmas A-B-C, 08h00 às 09h40, sala DMV-01, Sistema Respiratório (aulas 46 e 47).
28/10/2014, Terça, Aula Prática, Turma B, 14h00 às 16h30, Sala DMV-23, Tema: Trato Cardiorrespiratório (aulas 48 a 50).
29/10/2014, Quarta, Aula Prática, Turma C, 08h00 às 10h30, Sala DMV-23, Tema: Trato Cardiorrespiratório (aulas 48 a 50).
30/10/2014, Quinta, Aula Prática, Turma A, 08h00 às 10h30, Sala DMV-23, Tema: Trato Cardiorrespiratório (aulas 48 a 50).

ATENÇÃO:
OBRIGATÓRIO USO DE ESTETOSCÓPIO E TERMÔMETRO.

domingo, 19 de outubro de 2014

E viva a democracia

Estamos na beirada do momento mais decisivo para este país nos próximos quatro anos. Não, não vou fazer propaganda de um ou de outro candidato. Apenas fico triste de ver duas pessoas despreparadas para o diálogo, se engalfinhando e dirigindo, uma ao outro, impropérios e maledicências. Mas não é isso que quero ouvir. Quero saber como vai ser tocado o país daqui em diante. Em especial a educação.


Gostaria de não ver as cenas que vejo todo dia na minha rotina: lixo jogado nas ruas; vagas para pessoas com deficiência e idosos sendo ocupadas por indivíduos que não se enquadram nesta categoria; pessoas que vão aos caixas-rápido e preferenciais de supermercados apenas para não aguardarem em filas; desrespeito no trânsito; bullying nas escolas; preconceitos diversos (racial, sexual, etário, social, religioso); e por aí vão caminham as coisas...


Como minimizar isso? Políticas de segurança pública vigiando e punindo indivíduos transgressores (ao melhor estilo Foucault)? Políticas sociais subsidiando carências e diferenças sociais? Não, essas são apenas medidas paliativas e, sob um prisma político, destituídas de um propósito social real. O que precisamos é mudar a base, o alicerce, a raiz de todos estes problemas: a educação.

Por isso bato sempre na mesma tecla: nenhum país deste mundo alcançará civilidade e cidadania sem uma educação laica, atuante e sintonizada com a cultura ao qual ela se propõe mudar. Sem educação, continuaremos a jogar lixo nas ruas, a furar filas e a desrespeitar o próximo. Tudo passa pela educação.

Mas é perigoso educar a população. Povo educado não vive estabulado, não quer receber alimento de graça. Quer pastar sozinho, ruminar seu próprio volumoso. E boi que pasta sozinho, não tem dono.


Pensem nisso nas eleições do próximo final de semana. Votem com decisão de quem pode mudar seu futuro e dos outros. Escolha quem você (e não os outros) acha estar mais bem preparado para assumir este gigante capenga que está nosso país. E viva a democracia, mesmo que não estejamos, ainda, preparados para ela.

Vamos à programação da semana (quente e seca):

21/10/2014, Terça, Turmas A-B-C, 08h00 às 09h40, sala DMV-01, 2a Avaliação Teórica (aulas 41 e 42).
21/10/2014, Terça, Aula Teórica, Turma B, 14h00 às 16h30, Sala DMV-22, Tema: Sistema Circulatório (aulas 43 a 45).
22/10/2014, Quarta, Aula Teórica, Turma C, 08h00 às 10h30, Sala DMV-22, Tema: Sistema Circulatório (aulas 43 a 45).
23/10/2014, Quinta, Aula Teórica, Turma A, 08h00 às 10h30, Sala DMV-22, Tema: Sistema Circulatório (aulas 43 a 45).

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Seminários e outros fantasmas educacionais

Antes de entrar no assunto, quero deixar claro que estes escritos são de inteira responsabilidade de quem isto escreve. Não quero e nem pretendo ofender a ninguém com minhas elucubrações. Mas aqui consigo pensar como educador e como aluno ao mesmo tempo, assumindo uma posição cômoda para externar o que sinto e penso sobre o assunto: seminários em aulas de graduação.

Em conversas com colegas educadores e discentes, acho pouco provável que a prática de se instituir seminários apresentados pelos alunos vá ser abandonada. Eu mesmo tenho sido vítima (isso mesmo, vítima) desta prática que considero um retrocesso no processo de ensino moderno, em que o educador deve focar não em si (como no passado), mas no aluno e sua individualidade. Vou tentar explicar...

Seminário vem da palavra latina Seminarium, que significa um viveiro de plantas. Mas, por curiosidade etimológica, a palavra também deriva de outra palavra latina, Semen, que significa semente ou sêmen. Pois é, começa pela raiz da palavra... De qualquer forma, seminário seria uma prática de plantar sementes para o florescimento de uma nova educação... Como o latim é bonito!

O que vejo são professores que não sabem como tirar proveito destes recursos pedagógicos. Da mesma forma, alunos sem a menor motivação para usufruir dos benefícios das apresentações. E, no final, finge-se que se ensina e finge-se que se aprende. Ficamos elas por elas.

Durante o meu curso, por exemplo, tenho visto diversos professores utilizando tal recurso em mais da metade da carga horária da disciplina. E aí eu pergunto: qual a finalidade por trás disto? Será que isso não se constitui em uma forma de não dar aulas? Será que não é mais fácil ouvir que falar? Tenho aqui, com meus botões, essas dúvidas.

Na última semana assisti uma dessas paródias que considero humilhante para quem estava presente: um grupo, de quatro alunos, apresentando um assunto que ninguém estava prestando atenção, usando um material ilustrativo pobre e cheio da "Síndrome do Control-C, Control-V" e um professor alheio ao circo. Foi deprimente... Me senti envergonhado por todos, em especial pelo mentor de tal atividade. Ao final, ele cobrou o material escrito (provavelmente retirado de sites que fornecem textos prontos - medíocres, mas prontos). Quando vi o material (também enviado para o e-mail da turma), vi que tinha me enganado: bastou jogar o texto no Dr. Google e descobrir, na íntegra, uma cópia de um blog sobre o assunto.


Bom, onde chegaremos com isso? Não seria mais produtivo algo discursivo e participativo? Seminários do tipo "eu apresento, você assiste, todos aplaudem" não colam mais (apesar de já terem sido considerados vanguarda no ensino!). Precisamos mudar...

Mudando de assunto, e graças ao bom Deus protetor dos feriados e dos dias de descanso, vocês ficarão livres de mim esta semana, conforme já anunciado no Cronograma da disciplina que vocês receberam no início do semestre. Porém, OS PASSEIOS ESTÃO MANTIDOS, como consta no Cronograma de Passeios, também entregue para vocês. O motivo de não termos as aulas práticas dos dias 15 e 16/10 é justamente por não conseguirmos achar um horário para a turma B (já que ela perderá a aula do dia 14/10).

Bom feriado e recesso de 13 e 14/10 para todos.